5 recursos que devem fazer parte da sua gestão de ativos na Indústria 4.0

5 recursos que devem fazer parte da sua gestão de ativos na Indústria 4.0

Um bom empreendedor sabe que os estudos nunca param e que para oferecer o melhor para o seu cliente será sempre necessário buscar conhecimento.

É claro que a possibilidade de fazer testes e encontrar o que é mais adequado para o seu negócio por meio do método de erros e acertos vai depender do tamanho da empresa com a qual estamos lidando.

Mas é justamente para diminuir a chance de erros grandes demais que se tornam um custo alto ao invés de um aprendizado que você precisa se manter atualizado.

Outra questão importante é montar uma estratégia de implementação para qualquer teste, pois acompanhando os passos e o que é esperado para cada um é possível prever o “perigo” e encerrar a tentativa.

Mas onde vamos chegar com isso? Bom, no blog de hoje vamos falar sobre recursos que devem fazer parte da sua gestão de ativos na indústria 4.0.

E para entender melhor quais deles você deve aplicar a sua empresa é preciso passar por todo o processo citado, assim você sabe exatamente qual deles vai trazer o melhor retorno.

Para saber tudo sobre esse assunto, continue lendo!

LEIA MAIS: Como fica a gestão fiscal na Indústria 4.0?

O que é gestão de ativos?

Primeiro vamos explicar separadamente esses itens. Isso vai ajudar a entender como eles se complementam.

Ativos são objetos, de natureza tangível ou não, que podem ser controlados pela empresa. Eles englobam materiais, know-how, maquinário, contratos, equipamentos de TI.

E segundo a Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos e a ISO 55000, gestão de ativos é:

“A atividade coordenada de uma organização para produzir valor dos ativos que envolve equilibrar benefícios de custos, riscos, oportunidades e desempenhos”

Ou seja, o objetivo é sempre otimizar as ferramentas usadas pela empresa.

O que é a Indústria 4.0?

Na indústria 4.0 não é muito diferente. Aqui nós colocamos em foco a tecnologia como ferramenta principal para a produção de bens e serviços.

Isso porque a ideia é tornar os processos de produção mais ágeis, mais baratos, com menor chance de erros e a intenção de alcançar mais pessoas.

E é através de ferramentas como sistema de nuvem e inteligência artificial que toda a cadeia de valor pode ser conectada.

Como a gestão de ativos na indústria 4.0 se misturam

Então, quando essas duas ideias se unem o grande objetivo é conseguir tomar decisões baseadas em dados e usá-los a favor da otimização.

A junção da gestão de ativos na indústria 4.0, também permite que os gestores monitorem e controlem os ativos em tempo real.

E com isso é possível identificar problemas quando eles acontecem e solucioná-los de forma mais rápida e com controle de danos, como dito anteriormente.

Para implementar os recursos que citaremos é importante que, primeiro, suas prioridades sejam estabelecidas e é a partir delas que nasce uma estratégia.

Você pode pensar em categorias como planejamento, controle de produção, controle da organização, recursos humanos, tecnologia do processo.

Já que em todos esses espaços existem ativos que podem ser otimizados com uma ferramenta da indústria 4.0.

5 recursos da indústria 4.0 que podem se tornar parte da sua gestão de ativos

Confira 5 exemplos de recursos que podem fazer a diferença para o seu negócio.

  1. Realidade Aumentada e Realidade Virtual

A realidade aumentada permite que, através de câmeras e sensores de movimentação, como giroscópio e acelerômetro, os técnicos façam reparos evitando perda de tempo e o erro humano.

E com a realidade virtual é possível visualizar o ativo para efetivar um estudo de conserto sem interromper o funcionamento.

  1. Business Intelligence

A união da gestão de ativos com bases transacionais, também conhecidas como ETL (extraction, transformation and load) melhora a forma como os dados são exibidos.

Se é mais fácil ver e entender, fica mais fácil para a equipe técnica realizar a análise.

  1. IoT – Internet das coisas

Aqui podemos falar sobre sensores digitais que otimizam o monitoramento dos ativos, seja nos equipamentos, materiais ou ambiente de trabalho e segurança do trabalhador.

Os dados gerados através desse meio são compartilhados com as pessoas responsáveis através do Cloud Computing, possibilitando a criação de alertas caso sejam identificadas falhas em qualquer nível.

Também evitando maiores custos com solução de problemas e evitando muito tempo gasto na resolução.

  1. Cloud Computing

O termo pode ser traduzido para computação em nuvem e ela possibilita o acesso a partir de qualquer lugar.

Oferece processamento, armazenamento de dados, documentos, imagens, softwares e facilita a vida dos gestores em relação ao monitoramento e resolução de contratempos.

  1. Blockchain

Ele pode ser considerado como um banco de dados. Sua diferença é que ele é compartilhado e imutável, ou seja, as informações colocadas lá não podem ser alteradas, o que garante mais confiança.

Isto é, uma ferramenta que facilita o processo de gravação de transações e rastreamento de ativos em redes de negócios.

Gostou desse conteúdo? Então compartilhe com os colegas e confira o blog Midas na próxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *