coronavirus

Como diminuir o impacto do coronavirus no supply chain management

mar. 06-2020

Por Midas

Tags: ,

É muito comum que em momentos de crise a primeira ação seja uma reação. Mas com todas as informações que temos em mãos sobre o coronavirus a melhor atitude agora é um controle de impacto.

Nesse sentido, é importante mapear sua extensão dos impactos do coronavirus na cadeia de suprimentos e entender em quais áreas ele é mais intenso e quais são as soluções alternativas.

Uma situação como essa muda tudo, desde a disponibilidade de funcionários até os hábitos de consumo.

E por isso, hoje vamos falar sobre 5 atitudes que você precisa ter em mente para controlar o impacto que já aconteceu e prever as próximas possíveis consequências.

Para saber mais, continue lendo!

LEIA MAIS: Logística integrada: benefícios fantásticos e onde habitam

1. Lembre-se das pessoas

As pessoas são a força primária de toda comunidade e dentro das empresas não seria diferente. Elas estão no chão das fábricas, nas transportadoras, nos escritórios e extraindo materiais.

Por isso, em um momento de crise, é preciso oferecer suporte adequado. Afinal, sem pessoas não é possível recuperar o que foi e pode ser perdido, então é necessário repensar práticas.

Atualmente, nos deparamos com restrições de viagens, controles rígidos, fechamento de fronteiras, reduções de equipe e materiais.

No quesito trabalhadores, é essencial ter um plano B focado no trabalho remoto e em outras formas de flexibilizar a presença da sua equipe.

Em relação a consumidores, lembre-se que os hábitos de consumo vão mudar: as pessoas estão dando prioridade para os produtos essenciais. Esteja preparado para lidar com baixas ou excessos.

2. Seus fornecedores são importantes, tenha uma rede deles

Uma supply chain é construída a partir da suposição de que materiais estão livres para ir de um lado a outro do globo livremente, tornando possível extrair, fabricar e distribuir nos locais que tem um menor custo.

Uma crise como a do coronavirus consegue mostrar que essa teoria não é real.

Por isso, é preciso estar alinhado com seus fornecedores em relação ao que é possível entregar e o que ficará deficitário em seu inventário.

E equilibrar o aspecto de demanda e suprimento. Estabeleça um diálogo: será possível construir um estoque para amortecer a crise?

Uma forma de diminuir o impacto nesse sentido é estabelecendo uma rede de fornecedores estratégicos que estejam capacitados para suprir suas necessidades.

3. Entenda suas vulnerabilidades

Se uma empresa depende 100% de um único fornecedor e ele não consegue atender todos os seus clientes regulares por conta de uma crise como essa, então a cadeia é vulnerável.

Aqui também é essencial que você tenha um plano B. Ou seja, conhecer fornecedores locais que possam auxiliar nesse momento ou permanentemente por motivos de segurança.

Essa opção é mais cara, mas diminui os riscos do processo.

Outra solução é diversificar sua rede de fornecedores. Ter vários parceiros oferece o que sua cadeia produtiva precisa e também é essencial neste momento.

4. Precaução é melhor que solução

A crise já está acontecendo, mas seus resultados completos podem aparecer em até 6 meses depois do pico.

É importante que a partir dos impactos atuais você já esteja planejando o futuro. Isto é, você precisa estar preparado para a instabilidade.

Líderes de áreas como RH e financeiro devem se unir para entender os impactos de não conseguir entregar produtos para consumidores. Por isso, conduza exercícios de planejamento e desenvolva planos de ação, a empresa como um todo deve se envolver.

5. Esteja preparado para falar sobre o coronavirus

Em crises como esta é importante entender que informações precisas serão difíceis de obter. Mantenha fontes locais e confiáveis para se manter atualizado da situação.

E quando for falar sobre o assunto, esteja preparado e prepare as pessoas que estarão em contato com o público.

Outra estratégia interessante é criar protocolos para comunicação e tomadas de decisão. E tenha representantes pré-determinados – isso ajuda a estruturar o contato e demonstrar organização.

Gostou desse conteúdo? Esperamos que ele te ajude a se preparar para os impactos do coronavirus no supply chain. Se você curtiu, compartilhe com os colegas e continue lendo o blog Midas!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *