Como não correr riscos quando o assunto for recuperação de XML

A guarda e a recuperação de arquivos XML é mais um desafio para as empresas brasileiras.  Desde que o SPED chegou, elas têm que lidar com um problema constante: manter todos os arquivos XML das NF-e ou CT-e, tanto recebidos quanto emitidos, pelo prazo determinado pela Receita Federal que é de cinco anos.

Clique aqui e tenha um Guia prático sobre DANFE e DACTE

Como o Leão ruge sobre o assunto?

A Receita Federal afirma que “os recursos necessários para a guarda do documento digital, incluindo backup, têm um custo muito inferior do que a guarda dos documentos físicos, permitindo ainda a rápida recuperação do arquivo e suas informações. ”

E sobre a perda do XML, é enfática ao dizer que da mesma forma que a guarda das Notas Fiscais em papel fica a cargo dos contribuintes, também a cargo deles ficará a guarda dos documentos eletrônicos.

O que acarreta a falta de XML?

O SPED, todos sabemos, tornou a fiscalização mais dirigida e muito mais apurada. Existe a obrigatoriedade de entrega da Escrituração Fiscal Digital do ICMS e IPI (EFD ICMS/IPI) e do PIS e COFINS (EFD-Contribuições) e mais que isso: a facilidade para que o fisco cruze todos os dados entre as declarações acessórias e os arquivos XML!

A falta de XML pode levar, então, à escrituração incorreta das operações e, consequentemente, a obrigações acessórias incorretas.

Se isso acontecer, a empresa pode ser penalizada com multas pelo descumprimento da obrigação de guarda dos documentos e com a possibilidade de explicação dos créditos tomados de operações para as quais ela não possua o documento comprobatório (XML).

Como arquivar corretamente?

A melhor alternativa é a automatização: adotar uma solução que monitore e padronize as informações entregues à RFB no ambiente SPED, mantendo todos os XMLs de NF-e e CT-e tanto das operações de entrada quanto de saída.

Mas fique atento: essa solução precisa fazer a leitura plena e confiável das informações necessárias e padronizar todos os layouts das NFS-e, convertendo-os em um XML único e reduzindo dessa forma a vulnerabilidade tributária.

Gestão organizada e a guarda eficiente

A Midas pode te ajudar. Clique aqui e conheça uma ferramenta que faz a gestão organizada e a guarda eficiente e segura dos arquivos.

Ela permite que a sua empresa tenha acesso a todas as notas de mercadoria (NF-e) e notas de frete (CT-e) que foram emitidas contra o seu CNPJ, além de fazer as validações de autenticidade e recuperação dos XML não recebidos ou faltantes na base fiscal, através do download do XML (NF-e e CT-e) direto da SEFAZ.

E não se esqueça de acessar sempre o nosso blog para não perder nenhuma novidade!

Saiba como a TI pode ajudar na Governança Corporativa de seu negócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *