Como consultar a GFIP de uma empresa

Como consultar a GFIP de uma empresa? Entenda agora

maio. 15-2020

Por Midas

Tags:

Existem muitas obrigações relacionadas à manutenção de um colaborador na empresa. Uma delas é o pagamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)

O FGTS se tornou vigente em 1967 e foi criado com o objetivo de proteger o trabalhador demitido sem justa causa.

Esse fundo também pode ser usado por ele na aquisição de imóveis, construção e amortização de dívida vinculada a contrato de financiamento habitacional, por exemplo.

Ou seja, o pagamento dessa obrigação é muito importante para seu colaborador. E para que ele esteja sempre em ordem é preciso que mensalmente a GFIP seja preenchida.

A Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social faz parte da rotina contábil mensal e no blog de hoje vamos falar sobre ela.

Continue lendo para saber mais!

LEIA TAMBÉM: Entenda o que é o CIOT e como o código impacta a sua logística

O que é GFIP?

Como falamos, é a Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social, que contém as informações de vínculos empregatícios e remunerações.

Ela é gerada através do SEFIP (Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social), programa disponível no site da Caixa Econômica Federal.

A função do SEFIP é consolidar os dados cadastrais das empresas e trabalhadores.

É importante lembrar que os órgãos e entidades devem guardar as GFIPs e os respectivos protocolos de envio, seja em meio eletrônico ou papel.

Como e onde preencher a GFIP

O envio da GFIP é feito por meio do Conectividade Social, canal obrigatório para envio de informações e também disponível para download no site da Caixa, mas é gerado através do SEFIP.

Veja abaixo os dados necessários para gerar uma GFIP no SEFIP:

  • Dados cadastrais do trabalhador e empregador
  • Bases de incidência do FGTS e das contribuições previdenciárias
  • Movimentação de trabalhadores (afastamentos e retornos)
  • Salário-família
  • Salário-maternidade
  • Compensação
  • Exposição a agentes nocivos
  • Nas situações em que o valor da contribuição não for calculado pelo SEFIP, ele deve ser informado também
  • Valor das faturas emitidas para o tomador

A Consulta Cadastral da Midas auxilia na verificação da CND Receita Federal / INSS e na CND CRE FGTS, que são essenciais para o gerar a GFIP.

Após o preenchimento a guia deve ser enviada para o Conectividade Social e somente após isso é possível acessar o SEFIP novamente para gerar a GRF (Guia de Recolhimento do FGTS).

A GRF é gerada com um código de barras através do qual é feito o pagamento do FGTS.

Prazo de entrega da GFIP

O prazo para entrega é até o dia 7 do mês seguinte ao do pagamento do salário. Por exemplo, a guia de abril pode ser entregue até dia 7 de maio.

Porém, algumas questões devem ser consideradas. Caso não haja expediente bancário no último dia do prazo a entrega deve ser antecipada para o dia útil anterior.

E caso envolva o recolhimento ao FGTS ela deve ser transmitida com antecedência mínima de 2 dias úteis.

Como consultar a GFIP de uma empresa?

A consulta pode ser feita de duas formas diferentes. Caso ainda não tenha sido paga, é possível acessar a segunda via da GFIP através do SEFIP.

Basta clicar em “Relatórios RE”, depois em “Arquivo SEFIP” e informar o final do arquivo SFP salvo no momento do envio dos arquivos.

Já as guias que foram pagas podem ser visualizadas diretamente no site da Receita Federal.

É possível retificar a guia?

As correções devem ser feitas também através do SEFIP. Será necessário entregar uma nova guia com as informações retificadas e os dados já informados.

A nova GFIP deve ser entregue na mesma chave do documento incorreto.

Caso a informação incorreta seja em relação ao regime tributário, isso acarreta alteração de contribuição social a recolher e por isso o valor será registrado como débito do empregador com o FGTS.

Para realizar o pagamento você precisará comparecer a uma agência da Caixa e solicitar uma Guia de Regularização de Débitos do FGTS.

GFIP e o coronavírus

Mesmo sendo possível retificar a GFIP é importante estar atento a possíveis alterações de dados de preenchimento, como o que aconteceu durante o coronavírus.

Uma das medidas governamentais relacionadas à pandemia da COVID-19 afeta o preenchimento da GFIP e o pagamento do FGTS, por consequência.

Fique atento ao que pode mudar:

  • O empregador pode deduzir das contribuições previdenciárias o pagamento do salário do empregado dos primeiros 15 dias de afastamento, sendo esse comprovadamente causado pela contaminação da COVID-19
  • Redução de 50% das alíquotas de contribuições relativas às competências de abril, maio e junho de 2020, devidas a outras entidades e fundos – nesse caso é necessário rejeitar a Guia de Previdência Social gerada pelo SEFIP e calcular manualmente a contribuição considerando a alíquota reduzida
  • Prorrogação para agosto e outubro de 2020 do vencimento das contribuições relativas a março e abril de 2020

Este conteúdo foi útil para você? Compartilhe com os colegas e continue acompanhando o blog Midas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *