networking

As 6 maiores mentiras já ditas sobre networking

jun. 11-2019

Por Midas

Tags: , ,

Se tem uma coisa que se tornou indispensável para quem busca se tornar um profissional melhor e mais produtivo é o networking.

Essa estratégia, que consiste em cultivar uma rede de relacionamentos profissionais, vem ganhando ainda mais terreno. Na verdade, vem aumentando conforme a facilidade que temos em nos conectar uns aos outros cresceu.

E quanto mais um tema fica popular, maior é a quantidade de opiniões sobre ele!

Por causa disso, ficamos sem saber o que é verdade, o que é mentira, o que beneficia e o que ameaça o nosso trabalho de networking.

Pensando em esclarecer definitivamente esse tema, elaboramos um conteúdo especial com as 6 mentiras mais propagadas por aí sobre o networking (você ainda pode estar acreditando em 3 delas!)

Vale a pena ler porque está cheio de dicas pra você fortalecer e forjar boas conexões:

1. Hoje em dia, o melhor networking se faz pelas redes sociais

Quero começar este assunto fazendo uma pergunta a você: você se lembra de todos os perfis e postagens que viu na internet hoje?

Agora, com certeza você consegue se recordar sem muito esforço de pelo menos 90% das pessoas com quem conversou cara a cara nas últimas 24h.

Outra pergunta: suas amizades mais fortes são com aquelas pessoas que você encontra sempre para tomar uma cerveja ou com quem você mantém contato só pelo WhatsApp?

O que queremos dizer é que contatos offline ainda marcam muito mais do que os online. Ou seja, dificilmente você vai forjar ligações profissionais valiosas e duradouras só através de likes, comentários e emojis.

Então, quer dizer que tecnologia não ajuda?

Inegavelmente, todos temos que admitir que a tecnologia facilitou e muito a expansão da nossa rede de contatos.

O LinkedIn, rede social voltada para o compartilhamento da vida profissional, está em crescimento: já conta com uma base de 45 milhões de brasileiros criando novas conexões a cada dia.

Só que quantas dessas conexões realmente estão sendo “regadas” com conversas, telefonemas, cafezinhos, almoços e happy hours?

Como falamos lá em cima, o networking tem o objetivo de identificar e manter relacionamentos produtivos. Se não tomarmos medidas para cultivá-las na vida real, essas conexões jamais darão frutos.

Assim, é por isso mesmo que devemos pensar nas redes sociais apenas como uma forma de dar manutenção ao seu networking, e não as usar como a ferramenta principal.

 

2. Os eventos perderam seu lugar para a internet

Justamente pelo crescimento das redes sociais, muitas pessoas acabaram deixando para elas o trabalho duro na hora de criar novas conexões profissionais.

Mas como já dissemos, nada substitui marcar presença física, aquele “ver e ser visto” nos eventos da sua área de atuação.

Mais do que nunca, vale a pena ser proativo e encontrar sangue novo para ativar sua rede de contatos nessas ocasiões.

E vai mais uma dica esperta: faça um trabalho de follow-up com as pessoas que você conheceu no evento, mandando uma mensagem ou e-mail de agradecimento.

 

3. Quem é tímido não consegue ampliar sua rede

Na vida, e principalmente no mundo dos negócios, ouvir é muito mais importante do que falar.

Portanto, ser mais reservado pode se revelar uma vantagem que os tímidos têm sobre as pessoas extrovertidas na hora de criar conexões.

As pessoas tímidas tendem a ser ouvintes melhores, gerando reciprocidade, empatia e interesse mútuo – três pilares muito importantes do bom networking.

 

4. “Minha carreira vai de vento em polpa, não preciso de networking”

A verdade é que cultivar boas práticas de networking é algo que deve acontecer em qualquer estágio da nossa carreira, desde a nossa época de estudante.

Afinal, mesmo que você esteja vivendo uma época de vacas gordas, ninguém sabe o dia de amanhã, não é mesmo?

Quando damos atenção constante ao nosso círculo de relacionamentos profissionais, temos não só o potencial de chegar ainda mais longe.  Evitamos também aquele constrangimento de aparecer só pra pedir emprego.

 

5. Networking é sinônimo de oportunismo

Não é porque o networking tem o poder de abrir portas que seu único papel é ser uma ferramenta para galgar os degraus corporativos.

Existem, sim, aqueles profissionais que se aproximam de nós apenas com intenções de ganho pessoal. Mas, mais cedo ou mais tarde, eles acabam se revelando.

No fim das contas, um dos princípios mais básicos do networking é que ele só é bom de verdade quando todos têm a ganhar com a relação. 

Seja em oportunidades, cultura, experiências ou conhecimento.

Lembre-se: networking é sobre ser interessante, não ser interesseiro!

 

 

6. Quanto mais conexões você tiver, melhor

Assim como toda estratégia, o networking precisa de um objetivo. Pode ser que você queira se conectar a mentores, fornecedores ou se aproximar de líderes na sua área.

E também como em todo objetivo, precisamos traçar um caminho para chegar lá.

Então, talvez não seja um bom plano sair adicionando centenas de pessoas no LinkedIn ou entregar seus cartões aleatoriamente. Isso só vai criar um ruído na sua rede de contatos e diluir sua trajetória.

É claro que é sempre bom que o nosso círculo apresente uma certa diversidade. Mas, também é humanamente impossível administrar uma rede de relacionamentos gigantesca, concorda?

Assim, preze por conexões qualitativas, que são aquelas pessoas das quais você quer se cercar profissionalmente.

 

 

Resumindo:

– Use as redes sociais como um complemento e não como a sua ferramenta principal de networking.

– Frequente os eventos, workshops, congressos e happy hours da sua área, seja proativo na hora de estabelecer contatos e faça sempre o follow-up.

– Networking não é algo para fazer só quando convém. Então, não deixe para começar o seu quando as coisas apertarem.

– Uma pessoa reservada pode construir uma rede de relacionamentos tão rica (ou até melhor) quanto alguém extrovertido.

– Dê prioridade à qualidade não à quantidade de relacionamentos.

E antes de nos despedirmos hoje, recomendamos esse vídeo incrível do Gabriel Goffi com hacks de networking pra você levar pra vida:

Gostaríamos muito de te agradecer por você por ter lido até aqui e até o próximo texto! Se você curtiu o conteúdo, não esqueça de compartilhar com a sua rede de networking. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *