5 armadilhas que podem destruir a sua equipe de TI

jul. 30-2019

Por Midas

Tags: ,

Fazer a gestão de uma equipe de TI é um trabalho cheio de desafios, concorda?

Além dos obstáculos técnicos, administrar pessoas é um caminho cheio de percalços. E é aí que mora o ponto fraco de muitas equipes de tecnologia.

Acompanhe com a gente quais são as 5 armadilhas que você deve evitar para manter seu time de TI engajado e produtivo:

1. Não estimular a autonomia

É normal que muitos gestores sintam dificuldade em “desapegar” de alguns processos. Mas inspirar a autogestão da equipe é uma forma de gerar produtividade.

Afinal, não há tempo de ficar acompanhando cada processo milimetricamente, concorda?

Além disso, deixar que os colaboradores tomem suas próprias decisões faz com que eles se sintam mais confiantes, percam o medo de errar e consequentemente de agir por si próprios.

Por isso, delegar as tarefas e estimular que os colaboradores saibam “se virar” é essencial para manter a qualidade do trabalho e a integridade da equipe.

 

2. Ter uma equipe de TI muito homogênea

A troca de ideias é essencial para o dinamismo dos projetos, especialmente na área de tecnologia.

Quando uma equipe é composta por pessoas de background diferentes, com formações e vivências diversas, é possível enxergar novas saídas para os problemas.

Da mesma forma que é um ponto positivo ter uma equipe alinhada, que compartilha dos mesmos valores e objetivos, é muito importante ter também pessoas que saibam encarar os problemas sob vários ângulos.

Afinal, só assim os melhores insights vão aparecer.

 

 

3. Não oferecer um plano de carreira

Não é segredo para ninguém que todo profissional tem a ambição de crescer mais e mais.

E segundo dados apresentados em 2019 pelo Guia de Salários da Robert Half, os da área de TI têm expectativas altas em relação ao mercado!

Por essas e outras, montar um plano de carreira para a sua equipe de tecnologia é uma forma inteligente de valorizá-la.

Em um plano de carreira, detalhamos quais são os critérios usados pela empresa na hora de considerar promoções e aumentos de salário.

Isso integra uma estratégia que ao mesmo tempo incentiva os melhores talentos a ficarem com você e a se qualificar cada vez mais, atendendo às expectativas.

 

4. Ignorar as chamadas soft skills

As soft skills são as competências que dizem respeito ao comportamento, como flexibilidade, comunicação e empatia.

(As capacidades técnicas são chamadas de hard skills).

De nada adianta ter um verdadeiro crânio na equipe se ele não souber se comunicar com ela e com seus gestores, ou se não tiver pensamento crítico na hora de resolver um problema (que na TI aparecem aos montes).

Esse tipo de habilidade é ainda mais importante para a área de tecnologia, porque é um departamento que lida com a segurança de dados e questões que envolvem confiança.

 

5. Desconsiderar a inteligência emocional

Escolher uma equipe emocionalmente inteligente é importante porque esse tipo de pessoa conhece suas próprias emoções.

E quando alguém conhece suas emoções, sabe reagir frente aos problemas e conflitos do dia a dia e resolvê-los da melhor forma.

Convenhamos, saber enfrentar problemas é essencial a todo profissional de TI.

Como deu para perceber, essas 5 armadilhas são mais relacionadas ao comportamento do que a questões técnicas.

As relações humanas são complexas e podem interferir diretamente na performance da sua equipe de tecnologia ou cibersegurança. Por isso, ficar atento a elas não é só trabalho do RH.

Tomando cuidado com esses 5 pontos, a sua equipe com certeza vai se manter sempre produtiva e harmônica.

Curtiu o conteúdo? Se puder, compartilhe o link com os seus colegas até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *