3-curiosidades-sobre-o-sped-que-voce-vai-gostar-de-saber

3 curiosidades sobre o SPED que você vai gostar de saber

out. 25-2018

Por Midas

Tags: , ,

Números, legislação e novidades fazem parte da rotina quase que obrigatória de inúmeros profissionais da área fisco-tributária nas empresas brasileiras. Trazer alguns dados para atualizar o dia a dia deles nesse cenário é um dos objetivos aqui do Blog Midas.

Hoje escolhemos falar sobre SPED e Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), um assunto que não se esgota por sua amplitude e porque é muito, muito importante para quem trabalha na área. Vamos lá?

1- O que era uma inovação, já tem mais de 10 anos

O SPED – Sistema Público de Escrituração Digital – foi criado em 2007, no contexto de um Programa de Aceleração do Crescimento que tinha como objetivo modernizar as relações contribuintes e Fisco, transferindo para o ambiente digital a contabilidade feita anteriormente em papel.

Dos 12 módulos de sua composição, implantados de maneira gradual, o primeiro a entrar em vigor foi a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), sendo que hoje o sistema de escrituração recebe bilhões delas por ano.

Para conseguir êxito no processo de implantação, a Receita Federal teve que firmar parceria com 20 instituições e fechar um protocolo de cooperação com 27 empresas-piloto que se propuseram a utilizar o programa antes que ele entrasse em vigor.

De acordo com o CFC – Conselho Federal de Contabilidade, nenhum outro país do mundo tem um sistema de escrituração digital tão complexo quanto o brasileiro, pois nada se compara à amplitude e a capacidade de inovação do SPED.

PARA AJUDAR você diante dessa complexidade, aqui tem uma solução Midas que garante a segurança e a decodificação de 100% dos documentos fiscais!

2- O SPED é uma construção social coletiva

No sistema a Receita Federal tem um papel de liderança, fomentando parcerias e o desenvolvimento do país.

Segundo a própria RFB, o “SPED não é apenas um repositório ou um sistema de coleta, mas é uma instituição da sociedade que, trabalhando em parceria com o Fisco, amplia controles e simplifica a prestação de informações”.

Os números traduzem tamanha relevância. Veja os dados da última apuração, realizada em 23/10/2018, enquanto escrevíamos este texto:

NFe Autorizadas (O cálculo de NF-e autorizadas é realizado diariamente e não considera as que foram canceladas ou denegadas): 20,259 bilhões

Número de Emissores (O cálculo de emissores de NF-e é realizado a cada 10 dias e considera apenas os contribuintes que efetivamente emitiram NF-e nos últimos 30 dias, contados da data de apuração da estatística): 1,559 milhões

3- O sistema não tirou o lugar do contador nem da equipe

A era da tecnologia da qual o SPED faz parte não desmerece de forma alguma o capital humano das empresas, que permanece peça-chave nos processos.

A implantação gradativa do sistema de escrituração fiscal não diminui o papel dos profissionais em departamentos fiscais, mas através dos benefícios como a otimização do tempo permite que o talento deles possa ser aproveitado em tarefas de cunho mais estratégico nas organizações.

E cá entre nós, nada melhor do que plataformas modernas que minimizam aqueles erros manuais que geram descontrole, retrabalho, atrasos e recolhimento errado de tributos, não é mesmo?

De mãos dadas com a tecnologia empregada no SPED, a automação pode ser uma grande aliada da sua equipe no dia a dia da empresa.

Clique aqui e a Midas te mostra como isso é possível e simples! E se você gostou do post, compartilhe nas suas redes sociais e com os amigos.

LEIA TAMBÉM:

As vantagens da Nota Fiscal Eletrônica e por quanto tempo armazenar seus arquivos XML

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *